Thelemic Culture Update: November & December 2013

Originalmente publicado en 2nd Century Thelema:
Thelemic Culture Update is a monthly feature that brings together links to various announcements, writings, and events from around the web. Speech in the Silence: Program #47 of Speech in the Silence with “My Journey with O.T.O.” by Adrian Dobbie, “Paid All the Dues” by Lon Milo DuQuette, “Living Thelema:…

The Rituals of the Elements: Winter Solstice

IAO131: Los Rituales de los Elementos, Solsticio de Invierno.

IAO131

Introduction

It is written inLiber AL vel Legis II:36, “There are rituals of the elements and feasts of the times.” Crowley comments, “The entry of the Sun into the cardinal signs of the elements at the Equinoxes and Solstices are suitable for festivals. The difference between ‘rituals’ and ‘feasts’ is this: by the one a particular form of energy is generated, while there is a general discharge of one’s superfluous force in the other. Yet a feast implies periodical nourishment.” This cycle of dramatic rituals are therefore invocations. They are intended to generate energy at the entrance of the Sun into the cardinal signs of elements at the four quarters of the year, i.e. the Equinoxes and Solstices.

The entire cycle of rituals simultaneously show:

  1. The macrocosmic cycle of the Sun going through the seasons
  2. The microcosmic cycle of Man going through the generations/Incarnation (birth/youth-adulthood-old age-death).

Ver la entrada original 3.850 palabras más

Brian Butler Executa “A Operação de Bartzabel” de Aleister Crowley

O SUBMUNDO

bartzabel-764645.jpg
Quer se trate de filmes evocativos ou apresentações de músicas cerimoniais da Technicolor Skull (Brian na guitarra e instrumentos eletrônicos e o lendário Kenneth Anger no Theremin e gerenciando os efeitos visuais), a visão e execução de Brian, um ícone de uma subcultura ocultista que desabrochou na última década, são impressionantes. Suposto polímata — artista, cineasta, músico e escritor —, Butler tem construído sua persona em torno da dedicação aberta às artes negras e com o desejo de tornar públicos os rituais e dogmas de uma fé que tradicionalmente são mantidos em segredo. Isso, juntamente com seus laços com pessoas de reputação infame, notadamente Kenneth Anger, fez dele uma pessoa igualmente elogiada e injuriada. Se ele ainda não está, o inclua em sua lista de artistas que deve assistir.

Em 4 de dezembro de 2012, Brian e Noot Seear executaram uma performace pública de A Operação de Bartzabel de Aleister…

Ver la entrada original 36 palabras más

Brian Butler Conjura o Demônio Bartzabel

O SUBMUNDO

Aqueles que estavam dentro do santuário foram pastoreados pela segurança até um pátio envolto numa grande nuvem de incenso e fumaça, vibrando com os graves de uma caixa de som.

Uma aparição dividiu a névoa na forma de um figura usando uma túnica vermelha com capuz. Empunhando uma espada, ele solenemente atravessou o perímetro do palco negro decorado com círculos vermelho-sangue e um altar. Duas mulheres logo o seguiram, guiando uma pessoa vendada e amarrada até uma área triangular cercada de símbolos mistos. Tudo isso soa como parte de um capítulo não terminado de um livro de J. K. Huysmans, mas o evento estava sendo apresentado ao vivo em frente a uma plateia de quase mil pessoas — um amálgama curioso de artistas, ocultistas e subcelebridades que mostravam ao mesmo tempo uma variedade de antecipação, confusão e inveja.

A cena em questão, a última e mais grandiosa apresentação de Butler…

Ver la entrada original 653 palabras más

JACK PARSONS — TRABALHANDO COM BABALON

O SUBMUNDO

Marjorie Cameron

O escritor, pioneiro cientista de foguetes, e ocultista Jack Parsons, iniciou uma série de cerimônias mágicas em 2 de março 1946, concebidas, essencialmente, para alcançar uma manifestação de uma encarnação individual do arquétipo divino feminino, chamado Babalon, bem como para catalizar o surgimento desta força, existente latentemente em todos os homens e mulheres, na sociedade.

Durante a cerimônia o escritor e companheiro magicko L. Ron Hubbard, que mais tarde fundou a Cientologia, atuou como escriba anotando os resultados dos trabalhos magickos. Quando Parsons declarou que a primeira série de rituais estava completa e bem sucedida, ele, quase que imediatamente, encontrou Marjorie Cameron em sua própria residência, e a identificou como criação de seu ritual, considerou-lhe sua “Mulher Escarlate”, e logo começou a próxima fase de suas séries — uma tentativa de conceber um filho por meio de trabalhos de magia sexual. Embora nenhuma criança tenha sido concebida, isto não afetou…

Ver la entrada original 146 palabras más

O Significado da Doutrina da Mão-Esquerda ou Kaulamárga

O SUBMUNDO

KALI

Sendo:
Tantra Vidyá. Terceira parte.
Por:
Anuttara Kápilanáth Kuláchárya

Como um corolário lógico para a segunda característica comum a todas as formas de tantrismo, i.e. a atitude positiva em relação à vida e ao mundo, assim como a filosofia de se transformar o gozo mundano (bhoga) em um meio de auto-realização, o que se segue é uma introdução – em palavras claras – ao que equivocadamente denominou-se doutrina Kaula da mão-esquerda (vámasádhaná)[1], no qual os aspirantes espirituais fazem uso do Ritual dos 5Ms ou pañchamakára: o consumo de carne (mámsa), vinho (madya), a cópula sexual orientada (maithuna), grãos tostados (mudrá) e peixe (matsya) com o objetivo de mudar sua atitude para com estas substâncias e realizar o sámarasya[2] de Shiva e Shakti no interior de cada kaulika[3]. Aquilo que é falso e egoisticamente tido como profano e portanto ignorado pela ortodoxia hindu, é utilizado na prática espiritual da Tradição Kaula…

Ver la entrada original 1.159 palabras más

C.F. Russell & Magia Sexual

O SUBMUNDO

Cecil Frederick Russell
Cecil Frederick Russell (1897-1987) foi um dos primeiros seguidores fervorosos de Aleister Crowley. Depois de ser expulso do Exército da Marinha os EUA, Russell ficou brevemente na Abadia de Thelema de Crowley, onde os dois brigaram e se separaram. Russell (a quem Crowley se referido como tendo uma “reação violenta contra qualquer ato de autoridade”), em seguida, fundou sua própria ordem, o Choronzon Club, em 1928. Algumas fontes dizem que Crowley sugeriu que ele mudasse seu nome para GBG em 1931 – e muitas vezes acredita-se que isto signifique “Grande Fraternidade de Deus”, embora, aparentemente, Russell tenha sido evasivo quanto ao significado da sigla. Afiliações custavam apenas US$5, e se um novo membro tivesse um amigo para se inscrever em seguida, eles poderiam pagar a metade deste valor.

Russell colocou propagandas no Occult Digest, onde ele também escreveu vários artigos com:
“Um atalho para Iniciação
O Choronzon Clube
Caixa de…

Ver la entrada original 284 palabras más

CLUBE CHORONZON

El Club Choronzon

O SUBMUNDO

ANÚNCIO DO CLUBE CHORONZON NO OCCULT DIGEST
Foto: Aqui está um dos anúncios de C.F. Russell sobre o Choronzon Club, o mesmo que causou muita polêmica por seus rituais “abreviados” e atalhos para o XI°.

Esse anúncio é da Occult Digest, 1933 (o mesmo ano em que uma massiva dissidência afetou a organização de Russell).

Choronzon Club: também conhecido como C.·.C.·., parece ter sido um grupo magicko ativo em Chicago de, aproximadamente, 1931 até, pelo menos, 1979. Exatamente o que era, ou é, é confuso e provavelmente não pertinente para nossa compreensão. De acordo com o estudioso ocultista P. R. Koenig, em 1933 um pequeno grupo de homossexuais separou-se do grupo original de C. F. Russell, afim de praticar o XI° Crowley. Em 1941, após a separação do Choronzon Club de C.F. Russell, um dos grupos mais dissidentes se alojou no Steinway Hall (praticamente ao virar da esquina do Edifício de Belas Artes, onde tinham se…

Ver la entrada original 150 palabras más